O tigre e o menino

A notícia do terrível acidente que ocorreu no zoológico da cidade de Cascavel, interior do Paraná, semana passada, já é velha, mesmo assim pensei em refletir um pouco sobre o ocorrido revendo questões familiares, sociais e emocionais envolvidas na história.

Primeiro recapitulemos os fatos: Um menino de 11 anos, sem a devida vigilância do pai, ignorando completamente a placa de aviso de perigo, que estava na frente da jaula dos animais selvagens, pulou a grade de segurança e passou a chamar a atenção de um tigre e um leão. Depois tentou alimentar o tigre (com algum alimento guardado no bolso) e o provocou insistentemente correndo na frente da jaula, subindo nas suas grades e colocando o braço dentro dela para passar a mão no bicho.

A tragédia anunciada foi confirmada em menos de dez minutos depois: o garoto em choque tinha o braço direito dilacerado pelo tigre. O pai, o responsável presente, abalado, dizia que tinha sido apenas um descuido de poucos minutos.

Tudo muito triste. Mas estamos diante de uma situação que poderia ter sido completamente evitada. Então, de quem é a culpa? Porque alguém precisa ser responsabilizado. Afinal este menino viverá para o resto da vida sem um braço!

Nesta história, ao meu ver, todos são culpados, menos o tigre! Ele estava no lugar certo, em sua jaula. Quem invadiu o território de quem? O tigre estava apenas desempenhando o seu papel, que é o de animal irracional, aquele que reage por instinto, não é mesmo?

Se não há o que fazer para remediar tal situação, pelo menos que o impacto de tal tragédia sirva como um alerta de que perdemos o respeito uns pelos outros e por nós mesmos. 

Estamos vivendo uma versão caótica dos tempos contemporâneos onde impera a inversão de valores. Os pais não tem mais controle sobre seus filhos! Estes mandam e pais “modernos” obedecem.

Não há mais noção de limites. O certo e o errado são conceitos relativos, e portanto, voláteis. Tudo pode acontecer… E aquilo que é público não é de ninguém! 

Este fato me fez lembrar do belíssimo filme, As Aventuras de Pi, onde o narrador, Pi, conta histórias de sua vida, que fizeram com que se tornasse uma pessoa melhor e mais forte. 

Em um episódio, o pai de Pi mostra, através das ações de um tigre, que não se pode simplesmente achar que um animal selvagem será nosso amigo ou aliado, pois ele sempre agirá conforme seus instintos. Com isso Pi aprende que devemos ter cautela frente ao desconhecido e nunca subestimá-lo. Acima de tudo é preciso ter respeito pelo outro. Irônico, não?

Espero que o menino, protagonista do acidente com o tigre, possa tirar da sua tragédia pessoal algo de positivo para seguir seu caminho. Assim como todos nós, que mesmo chocados, devemos refletir sobre o nosso comportamento, porque temos errado quando deixamos uma criança assumir o comando. Devemos resgatar os papeis de cada um: Pai é pai, professor é professor e filho é filho!

Unknown-3

2 comentários em “O tigre e o menino

  1. Isso mesmo Cris, Concordo com vc e infelizmente muitas vezes precisa acontecer uma tragedia para que as pessoas percebam !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s