Educação I – A construção do ser ético na escola

Português do Brasil: Sala de aula IFTM

Refletindo sobre o nosso papel enquanto cidadãos dentro de uma sociedade democrática, como nos posicionamos sobre este assunto, mergulhados num mundo caótico, globalizado e extremamente competitivo?

Para isso talvez seja esclarecedor rever nossos conceitos de ética e moral. Se para começar, nossos valores estão desgastados, esquecidos dentro de uma gaveta, há uma certa lógica em questionar se eles são ou não uma prioridade. Neste ponto devemos nos perguntar até onde a Família pode deixar que a Escola se encarregue de transmiti-los para os nossos filhos.

É inegável o fato da Escola ocupar um espaço cada vez mais importante na formação moral da criança, por isso mesmo o estudo da Ética e a sua articulação entre as diversas áreas do conhecimento é primordial. O envolvimento destas áreas dá um sentido real à construção dos valores morais. Uma vez que isso deve acontecer num ambiente propício, além de ser contextualizado para que o aluno assimile  melhor o que representa ser um cidadão, cumpridor de seus deveres e ciente de seus direitos.

 Conhecemos a realidade brasileira e sabemos das nossas deficiências. Há muito que se ponderar: será que o educador encontra respaldo na sociedade e no governo para enfrentar tamanha missão? De que maneira colocar em prática os Parâmetros Curriculares impostos por lei, por exemplo a Ética, sem demagogia, já que essa lei se encontra em um patamar idealizado?

Não podemos nos esquecer que o professor, cuja profissão perdeu muito de seu prestígio, precisa receber mais apoio e uma melhor formação, não apenas inicial como também investimentos em estudos continuados para poder dar conta desta demanda. São exigências, cada vez mais urgentes, que necessitam ser sanadas.

Enfim todos precisam rever seus papéis e assumir uma postura mais comprometida. A Escola deve estimular a formação de equipes interdisciplinares para que os projetos pedagógicos sejam discutidos e levados adiante. É necessário que o professor desenvolva suas potencialidades e esteja em sintonia com uma aprendizagem significatica de seus alunos.

Contamos, também, com um aliado para essa tarefa, o psicopedagogo, uma figura de destaque para o repensar do vínculo professor-aluno, e que pode colaborar com os processos criativos de cada um, para que o aluno se transforme em autor de suas ideias e caminhe ao lado de um professor mais seguro e motivado.

A psicopedagogia está centrada nas relações humanas norteadas pela noção de bem comum e do respeito ao outro. Isto vai ao encontro da grande temática: a construção de valores morais a a partir da prática, ação e reflexão sobre ela, e a Escola deve contribuir garantindo espaço para que este processo aconteça. Acreditamos na formação de um indivíduo que siga em direção ao bem comum, para isso ocorrer, é necessçário sair do plano individual e olhar para o coletivo. Bem, estamos empenhados em alcançar este objetivo, ou seja, cada vez mais engajados na ação para a cidadania.

Estas reflexões foram aprofundadas no meu TCC de Psicopedagogia, PUC-SP, 2004.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s